TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

25 de set de 2011

winnicott.....slow...

Donald Woods Winnicott

Winnicott desfrutou de uma rica e plena vida pessoal. Seus hobbies favoritos incluíam a pintura e a música. De pequeno, participou de recitais de piano em sua Escola Metodista Wesleyana, de Cambridge, o Colégio Leys, e, mais adiante, na idade adulta, continuou seu amor pela música, apreciando desde dos Quartetos de Cordas, de Ludwig Van Beethoven aos êxitos do pop de The Beatles.

IMAGINE

Você pode achar que sou um sonhador
Mas não sou o único
Espero que algum dia você se una a nós
E o mundo irá viver como um

Imagine não haver posse
Eu pondero se você consegue
Sem necessidades para ganância ou fome
Uma irmandade de homens

Imagine todas as pessoas
Dividindo todo o mundo...

(Trecho da música Imagine – Beatles)

A INFÂNCIA ...

Caçula e único filho homem de John Frederick Winnicott e Elizabeth Martha Woods Winnicott, Donald Woods Winnicott nasceu em 7 de abril de 1896, em Plymouth na Inglaterra.

Suas tantas conquistas parecem ter ligação com as origens de seu próprio nome: "Donald" - nome profético derivado da antiga palavra celta que significa "poderoso, vigoroso"; "Winn", palavra saxônica que possivelmente signifique "amigo"; e de "Cott","casa" que sugere "estabilidade de vida".

Frederick Winnicott, que o próprio Winnicott descrevia como sendo, "extremamente preocupado, durante meus primeiros anos, com a cidade e com os negócios... Também teve sua trajetória brilhante: cursou a Escola da George Street, em Plymouth; foi Secretário Honorário do Instituto de Mecânica; Presidente da Associação Mercantil de Plymouth; e, em1924, agraciado Cavaleiro, pelas mãos do Rei George V, no Salão de Gala do Palácio de Buckingham.

Já a mãe, Elizabeth Winnicott, filha de um químico e farmacêutico de Plymouth, supervisionava a casa e cuidava de Donald e de suas duas filhas mais velhas, Violet, nascida em 1889, e Kathleen, em 1891. Além da família nuclear, viviam na casa uma tia de nome Delia, a babá de Donald, Allie, e uma governanta para Violet e Kathleen, além de uma cozinheira e várias copeiras.

Winnicott pai dedicava tanto tempo à cidade, exceto aos domingos, reservado à Igreja Não-Conformista, em que o jovem Donald tinha o prazer de voltar para casa caminhando ao lado do pai, por cerca de dez minutos que acabou deixando seu filho rodeado e mimado somente por mulheres: mãe, irmãs, tias, babá, governanta, cozinheira, copeira e as diversas parentes que viviam do outro lado da rua, levando-o mais tarde a referir-se a elas, como sendo suas "múltiplas mães".

Diante deste relacionamento quase que escasso com o pai em seu desenvolvimento, sua dedicação em pesquisar voltou-se para a essência da maternidade e a relação entre a criança e a mãe, deixando de lado a figura paterna e focando a maior parte do seu trabalho apenas na mãe e no bebê, o que foi de vital importância para a pesquisa psicanalítica.

Winnicott teve um objeto transicional – uma boneca chamada "Lily", que havia pertencido a Kathleen, a mais nova de suas irmãs. Violet e Kathleen tinham outra boneca, "Rosie", e aos três anos de idade Donald quebrou seu nariz com um malho de croquet.



Frederick Winnicott, usando palitos de fósforos, aqueceu o nariz de cera da boneca e conseguiu remodelar o seu rosto. Esta passagem na vida de Winnicott, veio a contribuir anos mais tarde para colocar que existe a possibilidade de expressar hostilidade sem aniquilar o objeto de nossa fúria e que isso é extremamente importante para a vida de um sujeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??