TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

16 de mai de 2011

Em Meriti com Serginho !!!

Ontem meu dia foi muito especial....
Começou lá em Padre Miguel na casa de meu pai , ouvindo só vinil bolado!!!

Depois cheguei lá em Piedade no Clube do Charm...
Mais tarde encontrei e conheci o grande talento Serginho Meriti...
Ficamos conversando muito tempo e foi muito mágico...


Mais impressionante é que 2 dias atras eu estava no Real 70 , em Cuba , e numa letra que eu estava rimando tinha uma citação ao cara!!

Tipo uma coisa dessas não vai acontecer de novo ...
Universo conspirando em MENTIRINHA CITY...

Sérgio Roberto Serafim, mais conhecido como Serginho Meriti, carioca de São João de Meriti, que teve sua primeira música gravada em 1980, por Bebeto, no LP "Malícia", lançado pela Copacabana, gravou também "Neguinho poeta" (c/ Bebeto e Carlinhos PQD).



No ano segiuinte lançou o LP "bons momentos".

Em 1982 gravou o disco "Vida tão bela menina", também pela gravadora PolyGram. No LP interpretou diversas composições de sua autoria: "Eu vou fazer", "Grito de gol", "Chateador", e "Meriti", todas em parceria com Dhema.

Ainda neste disco, contou com a participação especial de Leci Brandão na faixa "Chicote da vida" (c/ Dhema).

Em 1984 gravou o disco "Bem natural", lançado pela gravadora PolyGram.
No ano de 1986, Zeca Pagodinho interpretou um grande sucesso de sua autoria, "Quando eu contar - Iaiá" (c/ Beto Sem Braço).



Neste mesmo ano, Almir Guineto gravou "Quem me guia" (c/ Beto Sem Braço) e Dominguinhos do Estácio no LP "Bom ambiente", incluiu de sua autoria "Dura prova" em parceria com Beto Sem Braço e Aloísio Machado.

No ano seguinte, em 1987, o cantor Roberto Ribeiro no LP "Sorri Pra Vida", pela gravadora Emi/Odeon, interpretou "Onde existe flor" (c/ Guará da Empresa) e Alcione gravou de sua autoria "Cada um na sua".

Neste mesmo ano o grupo Exporta Samba gravou "Daltônico Varela" (c/ Beto Sem Braço) no LP "Valeu a experiência".

Em 1988 sua composição "Manera mané", em parceria com Beto Sem Braço e Arlindo Cruz, foi gravada no disco "Jeito moleque", de Zeca Pagodinho. No disco ainda constou de sua autoria "Por querer, sem querer". Neste mesmo ano, Alcione interpretou no LP "Ouro e cobre", uma parceria sua com Nonô de Morro Azul "Manguererê".

Em 1989, Zeca Pagodinho, no LP "Boêmio feliz", pela gravadora RCA, interpretou de sua autoria "Filial da matriz" (c/ Arlindo Cruz).

Neste mesmo ano, o grupo Fundo de Quintal, no disco "Ciranda do povo", interpretou "Pra não quebrar a corrente", em parceria com Acyr Marques.

No ano seguinte, em 1990, no LP "Saudades da Guanabara", Beth Carvalho interpretou "Apartheid não" (c/ Franco e Arlindo Cruz).

Em 1992, Zeca Pagodinho intrerpretou outro sucesso de sua autoria, "Vê se me erra" (c/ Carlos Senna e Octacílio da Mangueira).

No ano seguinte, Zeca Pagodinho incluiria outra composição sua, desta vez, uma homenagem ao falecido compositor Beto Sem Braço "O elo", em parceria com Carlos Sena.

Em 1996 pela gravadora Velas, lançou o CD "Serginho Meriti", no qual interpretou de sua autoria "Clemência" (c/ Reinaldo Amâncio), "Direto e reto na pista" (c/ Cacá Franklin), "Até me faz lembrar você" (c/ Reinaldo Amâncio) e "O tempo todo", em parceria com Cacá Franklin e Carlos Sena, além de incluiu "Ah! Como eu te amo", de autoria de Dhema e Álvaro Pacheco.

E este clássico:


E assim seguimos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??