TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

19 de ago de 2009

A França é aqui..

“Social em Movimentos – França em Foco”

Ver, confrontar as realidades e debater soluções para os desafios sociais que marcam o Brasil e a França. Mais do que a apresentação de documentários brasileiros e franceses, ampliando o intercâmbio cultural entre os dois países, a mostra Social em Movimentos: França em foco é marcada pela discussão sobre as experiências e a solução de problemas sociais nos dois países. Após cada dia de exibição, o público é convidado a discutir os temas sociais colocados em pauta pelos filmes apresentados, como trabalho, direito à moradia, imigração e justiça.

A abertura da mostra foi no Cinemaison-Teatro Maison de France no dia 17 com a exibição de La zone, au pays des chiffonniers, filme mudo de Georges Lacombe, e L’amour existe, de Maurice Pialat. A programação terá continuação no Centro Cultural Banco do Brasil, a partir do dia 20. Para encerrar, a mostra apresenta A vida moderna, de Raymond Depardon.

Evento oficial do Ano da França no Brasil, a mostra Social em Movimentos: França em foco é resultado de uma parceria da Refinaria Filmes, com a ONG francesa Autres Brésils, o Forum des Images e o Centro Cultural Banco do Brasil. A programação completa, entrevista com diretores e outras informações estão em http://socialemmovimentos.net/


Dia 17 de agosto eu fui na abertura no Cinemaison - Teatro Maison de France – Rio de Janeiro.Foi muito chique , tudo muito bonito e organizado , adorei a festa que rolou no final , com direito a drinks e comidas nunca dantes provadas por esse que vos fala...
Assisti , maravilhado 2 filmes franceses :



La zone, au pays des chiffonniers (A zona, no país dos catadores), de Georges Lacombe – França, 1928, mudo, preto e branco, 28 min



Um apaixonante ensaio sob forma de crítica social sobre o trabalho e o cotidiano dos catadores. A recuperação de lixo e o mercado de pulgas de Clignancourt são particularmente impressionantes e ver um filme mudo é uma sensação muito louuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuca...

E um outro , mais "mudernu" chamado– L’amour existe (O amor existe), de Maurice Pialat – França, 1960, 19 min, preto e branco, livre:


Aubervilliers, Pantin, Courbevoie, Nanterre… Uma viagem pelos subúrbios parisienses no fim dos anos 50. A degradação da paisagem, o fracasso e a devastação provocados pela urbanização, a condição de vida dos trabalhadores e dos imigrantes a dois passos da avenida Champs-Elysées. Um belo filme poético, político e desconhecido do grande diretor francês Maurice Pialat.

A festa continua...


Dia 20 de agosto – Sessão “Imigração”

19h – La traversée (A travessia), de Elisabeth Leuvrey – França, 2006, 55 min, legendas em português, livre

20h – Migrantes, de Beto Novaes, Francisco Alves e Cleisson Vidal – Brasil, 2007, 45 min

20h45 – Debate sobre imigração/migração



Dia 21 de agosto – Sessão “Uma cidade, várias histórias”

19h – 5-7 rue Corbeau, de Thomas Pendzel, co-produção do Forum des Images – França, 2007, 59 min, legendadas em português, livre

20h – Moro na Tiradentes, de Henri Gervaiseau e Claudia Mesquita – Brasil, 2007, 54 min

20h30 – Debate sobre Moradia nos grandes centros urbanos


Dia 22 de agosto – Sessão “Músicas urbanas”


14h – On n’est pas des marques de vélo (Carta fora do baralho), de Jean-Pierre Thorn, co-produção do Forum des Images – França, 2004, 90 min, legendas em português, livre.


O dançarino de break, Ahmed M’Hemdi, mais conhecido pelo apelido de Bouda, passou quatro anos preso. Uma vez paga sua dívida com a sociedade, ele se vê condenado a retornar à Tunísia, de onde ele não conhece nem a língua. Um destino ao mesmo tempo individual e coletivo, sua história resume a trajetória de uma geração de moradores dos subúrbios de Paris, onde nasceu o movimento hip hop no início dos anos 80.

16h – Entre a luz e a sombra (Brasil, 2007, 152 min), de Luciana Burlamaqui


O documentário investiga a violência e a natureza humana a partir da história de uma atriz que dedica sua vida para humanizar o sistema carcerário, da dupla de rap 509-E formada dentro do Carandiru e de um juiz que acredita em um meio de ressocialização mais digno para aqueles que entraram na vida do crime. Durante sete anos, a partir do ano 2000, o documentário acompanha a vida destes personagens. Prêmio do Público de Melhor Documentário do 17º Festival de Cinemas e Culturas da América Latina de Biarritz (França) Outubro 2008. Menção Especial do Júri do 17º Festival de Cinemas e Culturas da América Latina de Biarritz (França) Outubro 2008.



18h30 – Show freestyle com Slow da BF

Vou fazer um improviso colocando na roda os filmes e o público...



Dia 23 de agosto – Sessão “Justiça”

15h – À côté (Do lado), de Stéphane Mercurio, co-produção do Forum des Images – França, 2008, 90 min, legendas em português, livre

16h30 – Encontro com a diretora Stéphane Mercurio

17h – Do lado de fora, de Paula Zanettini e Monica Marques – Brasil, 2005, 54 min

18h – Encontro com a diretora Paula Zanettini


Sessão de encerramento

19h – La vie moderne (FR, 2007, 90 min, cor, legendas em português), de Raymond Depardon

Durante dez anos Raymond Depardon filmou a vida de camponeses das montanhas francesas. Ele nos convida a entrar nestas fazendas de uma maneira extraordinariamente natural. Este filme fala, com uma grande serenidade, das raízes e da situação da população rural. Prêmio Louis Delluc 2008. Festival de Cannes 2008.

Um comentário:

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??