TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

22 de mar de 2009

churrasco na roda do carro

O segredo da vida está tão bem guardado que quem guardou, escondeu a chave depacho do capacho (lembra do capachão da tv colosso?)e não sabe em qual capacho escondeu...


Ai ficamos nessa coisa: não podemos saber oque é a vida e nem queremos termina-la para sabermos (se é que saberemos)ou seja um tamanha desvantagem...


Hoje acordei gritando feito um louco

parecia um dinossauro em crise dos 500.000 mil anos aguda...


Não sei, acho que o clima de São João de Mentirinha , está me colocando numa situação precária ...deve ser falta ou muito açúcar ,porque já dizia o poeta GUSTAVO BLACK " todo pó branco faz mal,açúcar,cocaína ,antraz e sal"


sei lá ,pode ser anemia espiritual. Mas,graças a DEUS, meu poder se aperfeiçoa na fraqueza... Felizmente.
No início do século XIX um filósofo francês escreveu "A maioria das pessoas não reconheceria Satanás nem se ele as agarrasse pelo pescoço". Se esse triste comentário sobre a falta de conhecimento espiritual era verdadeiro há 200 anos, tal falta de conhecimento apenas aumentou exponencialmente hoje...
Maneiras e modos operantes de reconhecimento do inimigo ,são necessarias , para que a surpresa de um ataque frontal não nos pegue com as calças na mão..

Quem ai lembra da frase "o inimigo mora ao lado e faz churrasco na roda de carro ,ouvindo o grupo revelação, todo domingo???"

2 comentários:

  1. EXCOMUNHÃO

    I
    Peço à musa do improviso
    Que me dê inspiração,
    Ciência e sabedoria,
    Inteligência e razão,
    Peço que Deus que me proteja
    Para falar de uma igreja
    Que comete aberração.

    II
    Pelas fogueiras que arderam
    No tempo da Inquisição,
    Pelas mulheres queimadas
    Sem apelo ou compaixão,
    Pensava que o Vaticano
    Tinha mudado de plano,
    Abolido a excomunhão.

    III
    Mas o bispo Dom José,
    Um homem conservador,
    Tratou com impiedade
    A vítima de um estuprador,
    Massacrada e abusada,
    Sofrida e violentada,
    Sem futuro e sem amor.

    IV
    Depois que houve o estupro,
    A menina engravidou.
    Ela só tem nove anos,
    A Justiça autorizou
    Que a criança abortasse
    Antes que a vida brotasse
    Um fruto do desamor.

    V
    O aborto, já previsto
    Na nossa legislação,
    Teve o apoio declarado
    Do ministro Temporão,
    Que é médico bom e zeloso,
    E mostrou ser corajoso
    Ao enfrentar a questão.

    VI
    Além de excomungar
    O ministro Temporão,
    Dom José excomungou
    Da menina, sem razão,
    A mãe, a vó e a tia
    E se brincar puniria
    Até a quarta geração.

    VII
    É esquisito que a igreja,
    Que tanto prega o perdão,
    Resolva excomungar médicos
    Que cumpriram sua missão
    E num beco sem saída
    Livraram uma pobre vida
    Do fel da desilusão.

    VIII
    Mas o mundo está virado
    E cheio de desatinos:
    Missa virou presepada,
    Tem dança até do pepino,
    Padre que usa bermuda,
    Deixando mulher buchuda
    E bolindo com os meninos.

    IX
    Milhões morrendo de Aids:
    É grande a devastação,
    Mas a igreja acha bom
    Furunfar sem proteção
    E o padre prega na missa
    Que camisinha na lingüiça
    É uma coisa do Cão.

    X
    E esta quem me contou
    Foi Lima do Camarão:
    Dom José excomungou
    A equipe de plantão,
    A família da menina
    E o ministro Temporão,
    Mas para o estuprador,
    Que por certo perdoou,
    O arcebispo reservou
    A vaga de sacristão.



    Miguezim de Princesa

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente muito criativa e bem conduzida essa narrativa, poética e desencana me fez babar e me sentir envergonhada...

    Essa poesia é tristemente maravilhosa, sua postagem também, mas fiquei um pouco confusa como em tudo que vc escreve.

    Será que é normal?!

    ResponderExcluir

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??