TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

25 de fev de 2009

um livro que eu pensei que jamais irai ler...e li..amarradão...

É...



As vezes eu me pego pensando na quantidade de livros que eu já li e o quanto foi proveitoso cada palavra ali no papel,uns livros eu não sabia bem oque esperar e outros eu sabia exatamente o que esperar . Um desses foi:

É um livro muito complexo e simples ao mesmo tempo ,e eu não consegui parar de ler ,nem nas horas mais estranhas da madrugada ...
Esse cara sabe mesmo escrever coisas complexas de forma simples e nesse livro em particular eu pude sentir a quase presença do velho bem ao meu lado na hora que eu estava lendo , ou podia ser só o passageiro do lado roncando no metro vazio...


Desde que começou a relatar em livros seus encontros com Don Juan, que remontam a 1960, Carlos César Arana Castaneda transformou-se na mais invisível e impalpável personalidade literária da atualidade.
Ele não tira muitas fotos e não fala muito com a imprensa , pra falar com ele tive que fazer muitos sinais de fumaça e uma longa ofiçina sobre telepatia com o professor Charles Xavier!!




Carlos Castañeda narrava um universo uno e ao mesmo tempo duplo : o tonal e o nagual. O tonal representa tudo aquilo que captamos e percebemos diariamente, o mundo ordinário.(alguma semelhança com MATRIX??)



O nagual é aquilo que existe, mas raramente conseguimos perceber, é o mundo não ordinário ou extraordinário, o reino do desconhecido.(MATRIX 2, a missão)
Aquilo que não pode ser percebido racionalmente... É a sensação que vai além da razão, tornando irrelevante qualquer tipo de questionamento. Se é verdade ou não !


O "sonhar", que se referia Castañeda ,é a síntese da arte que aprendeu com Dom Juan Matus. É transpor os limites da percepção do dia-a-dia, penetrar pelas camadas do tonal e do nagual, poder voar deixando o corpo parado.
A arte de sonhar se tornou para aqueles xamãs a prática mais absorvente. Durante aquela prática, eles experimentaram estados não igualados de força física e bem-estar, e no seu esforço de duplicar esses estados nas horas de vigília descobriram que podiam repeti-los seguindo certos movimentos do corpo. Os esforços culminaram com a descoberta e desenvolvimento de grande número de tais movimentos, que são chamados de passes mágicos.




Dom Juan dizia que o nagual é essa parte de nós para a qual não existe nem descrição, nem palavras, nem sentimentos, nem conhecimento. Todas as realidades são possíveis e coexistem numa infinidade de universos.
SEGUNDO ELE MESMO :

"O bruxo vive a vida por si e para si e não para as galerias. Ele não se deixa influenciar pelas reações de consenso social, pois não age em termos de auto-importância. Ele sabe "parar o mundo", ou melhor, ele tem a capacidade de "não fazer".



Será que existem mesmo os bruxos ? e será que existem mesmo condições de examinar e catalogar o que é ou não bruxaria?
Tem idiota no mundo todo que acredita que o m... do paulo coelho é um bruxo!!!
Eu tenho minhas certezas e dúvidas e deixo que minha mente e coração resolvam sozinhas essas coisas (eles que são brancos que se entendam!!!).

Um comentário:

  1. A profundidade do ensinamento de D. Juan - veiculado por Castañeda - equipara-se à profundidade das grandes relgiões, no que elas têm de mais místico, vivo, pulsante.

    Na verdade um caminho para poucos mas de importância vital pois diz respeito ao encontro consigo mesmo, nosso lugar no mundo, nosso papel nessa breve existência.

    ResponderExcluir

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??