TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

10 de abr de 2014

CIRCO

DIA DO CIRCO

Quem não gosta de circo?!

Comemoramos o Dia do Circo em homenagem ao palhaço brasileiro Piolim, que nasceu dia 27 de março de 1897 na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.


Você sabia que as primeiras tentativas de apresentações em circo vieram da China? 

Lá a monarquia se divertia com a apresentação dos contorcionistas e equilibristas.

Dos divertidos e simpáticos palhaços, dos malabaristas e suas manobras arriscadas, da mulher borracha, do atirador de facas, mágicos, adestradores de animais e trapezistas, é feito o mundo mágico dos circos!

Os palhaços, encarregados de proporcionarem muitas gargalhadas ao público. 

Para ser um palhaço, é preciso vocação e gostar de interagir com as pessoas, pois só assim irão transmitir alegria e entusiasmo a todos que estão assistindo ao espetáculo.


Os mágicos são os que mais chamam a atenção de todos na platéia. 
Executam números curiosos de ilusionismo.
Iludindo e prendendo a atenção dos espectadores. 


Se você nunca foi ao circo, tem uma ótima oportunidade agora no Dia do Circo. Não perca este mundo de diversão e magia!

Origem do Circo


O circo continuou sendo um grande espetáculo mesmo após a invenção do cinema e televisão.

Aliás, você sabia que muitos programas de auditório famosos da TV brasileira foram inspirados em circo e que a televisão tem até o apelido de circo eletrônico?

Qual a Origem do Circo?

Alguns historiadores acham que a origem do circo está ligada ao hipódromo grego, um lugar na Grécia Antiga, onde aconteciam corridas de cavalos. 

O mais certo (dizem) é que se originou na Roma Antiga; embora estes espetáculos tivessem muita crueldade, eles se pareciam com os do circo como conhecemos hoje.

Na idade Média, existiam espetáculos de saltimbancos: equilibristas, malabaristas, ilusionistas ou palhaços, que viajavam e apresentavam seus números pelas feiras e vilarejos.



Descobertas e Atrações do Circo
Por volta de 1770, um amestrador de cavalos chamado Philip Astley, descobriu que quando os cavalos corriam em circulo eles atingiam uma velocidade maior devido a força centrípeta. 

 
Ele resolveu usar isso em suas apresentações e assim nasceu o picadeiro, este palco circular do circo como conhecemos até hoje. 

Ele fixou o tamanho desse picadeiro em 13 metros de diâmetro, que até hoje continuam sendo o mais comum.

Depois acrescentou ao
espetáculo saltimbancos e palhaços. O circo moderno estava inventado. 

Viajou com seu circo da Inglaterra para a França onde fez grande sucesso: era o começo dos circos internacionais.

Aos poucos, todo tipo de artista foi levado para o circo: dançarinos, ginastas, atores, mágicos além dos animais. 

Durante o século XIX o circo viveu seu auge: com música, cenografia, figurinos tornou-se um espetáculo completo.

O circo desenvolveu-se por todo o mundo como uma autêntica arte
cênica. Ao mesmo tempo internacional e regional, possuindo diferenças em seus espetáculos em cada parte da Terra.

Vida e Trabalho no Circo

Como trabalhar no circo é também viajar e morar junto, muitas companhias circenses são formadas por famílias. 

Cada um acaba desenvolvendo uma habilidade ou função nesse espetáculo: da bilheteria ao trapézio.

No circo, é comum que as pessoas saibam fazer mais de uma coisa. Além disso, em geral os artistas sabem montá-lo e desmontá-lo.

O Circo no Brasil:


O Brasil também tem circo. 
Os mais antigos foram organizados na segunda metade do século XVIII. 

Diz a história que Manuel Antonio da Silva apresentou um espetáculo de dança sobre o cavalo que se tornou famoso. 

Provavelmente, esse foi o primeiro espetáculo parecido com circo que tivemos, apesar de ter acontecido numa residência. 

No século XIX, como vimos no auge do circo, várias companhias visitaram o Brasil. 
Elas foram sem dúvida um incentivo para as companhias nacionais que se formaram, muitas delas com artistas estrangeiros.

Temos também, palhaços famosos que dedicaram suas vidas à arte do riso, como:


ARRELIA (Jaguariaiva – PR)

Waldemar Seyssel começou em circo, saltando, passando pelo trapézio, pela cama elástica e em outras acrobacias, com seus dois irmãos, Henrique e Paulo. Mas quando o pai cansado deixou o circo, substituiu o nome artístico, usando o apelido de família que seu tio Henrique lhe dera: Arrelia.


CAREQUINHA (Rio Bonito – RJ)

George Savalla Gomes nasceu numa família circense, na cidade de Rio Bonito.Seus pais eram os trapezistas Elisa Savalla e Lázaro Gomes (George literalmente nasceu no circo, pois sua mãe grávida estava fazendo performance de trapézio quando entrou em trabalho de parto em pleno picadeiro). Deu início à sua carreira como palhaço Carequinha aos cinco anos de idade, no circo de sua família.Aos doze era palhaço oficial do Circo Ocidental, pertencente ao seu padrasto.



PIOLIM (Ribeirão Preto - SP)

Abelardo Pinto (Piolim), figura lendária que por mais de cinqüenta anos reinou, com maestria, no “teatro do povo”.
Abelardo Pinto "Piolin" nasceu no num circo armado na rua Barão do Amazonas, em Ribeirão Preto. Iniciou sua carreira no Circo Americano ainda criança, envolvendo-se em diferentes atividades. Filho de artistas circenses, conquistou o reconhecimento dos intelectuais da Semana da Arte Moderna.
Seu apelido, que se refere a um tipo de barbante, é devido à sua estrutura física: magro e de pernas compridas.

Foi considerado "o maior palhaço do mundo". 

Washington Luis, presidente da república deposto pela Revolução de 1930, era um dos seus admiradores e costumava assisti-lo.




BENJAMIN OLIVEIRA (Pará de Minas - M.G)

Benjamin de Oliveira codinome de Benjamin Chaves é mais conhecido como primeiro palhaço negro do Brasil.
Além de ser o idealizador e criador do primeiro circo-teatro.
Benjamin de Oliveira, “o palhaço negro”, cantor, compositor, autor e ator. Nasceu em 1870, em Pará de Minas, Minas Gerais, Brasil. Nasceu, mas era filho de mãe escrava. Sua infância foi cheia de privações: “muitas vezes” - conta em suas memórias - “passávamos dias e dias comendo abóbora e fubá”





CHICARRÃO (LINHAGEM )

A estirpe dos Queirolo chegou ao Brasil em 1910 em Sant’Ana do Livramento – RS. Seu líder foi José Queirolo, que aqui chegou precedido de fama internacional. Seu filho foi o famoso Palhaço Chicharrão e seu neto, o Palhaço Torresmo. Os irmãos Queirolo foram famosos acrobatas. A história deles e de José Carlos Queirolo – Palhaço Chicharrão, nascido em 1889 em Bagé – RS, começou em Gênova, na Itália.



PIMENTINHA ( Itu - S.P)

Walter Seyssel – Palhaço Pimentinha – trabalhou ao lado de seu tio Arrelia, no programa da TV Paulista, canal 5, no ano de 1953 e depois foi para a TV Record, onde trabalhou durante vários anos. Ele foi dos tempos de ouro do circo no Brasil. Inaugurou uma época na televisão. Pertenceu a uma família que durante quatro gerações, viveu sob a lona.



TORRESMO (E.Santo do Pinhal - P.R.)

Um dos palhaços mais populares do Brasil, Torresmo significou a história do circo e do humor no país. Seu nome na vida real era Brasil José Carlos Queirolo, nascido em Espírito Santo do Pinhal, Paraná. Filho de pai uruguaio e mãe argentina, sua vida inteira foi dedicada ao picadeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??