TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

29 de out de 2012

Jesus menino.

Música linda...resolvi compartilhar...as versões que mais me fizeram sorrir:


http://www.youtube.com/watch?v=n2TmLFNySRE


Gesù Bambino

Lucio Dalla

Dice che era un bell'uomo e veniva,
Veniva dal mare...
Parlava un'altra lingua peró,
Sapeva amare.
E quel giorno lui prese a mia madre,
Sopra un bel prato... ah,
L'ora più dolce,
Prima di essere ammazzato.
Cosi lei resto sola nella stanza,
La stanza sul porto...
Con l'unico vestito,
Ogni giorno più corto.
E benchè non sapesse il nome,
E neppure il paese...
Mi riconobbe subito, (mi aspetto' come un dono d'amore)
Proprio all'ultimo mese. (fin dal primo mese)
Compiva sedici anni,
Quel giorno la mia mamma...
Le stofe di taverna
Le canto a ninna nanna.
E stringendomi al petto che sapeva, sapeva,
Sapeva di mare...
Giocava la Madonna, (giocava a far la donna)
Col bambino da fasciare.
E forse fu per gioco,
O forse per amore...
Che mi volle chiamare,
Come nostro Signore.
Della sua breve vita, il ricordo,
Il ricordo più grosso...
È tutto in questo nome
Che io mi porto addosso.
E ancora adesso mentre bestemmio e bevo vino... (e ancora adesso che gioco a carte e bevo vino)
Per la i ladri e le puttane sono, (per la gente del porto mi chiamo)
Gesù bambino.
E ancora adesso mentre bestemmio e bevo vino... (e ancora adesso che gioco a carte e bevo vino)
Per la i ladri e le puttane sono, (per la gente del porto mi chiamo)
Gesù bambino.
Outra versão!

E versão brasileira, na voz de Chico Buarque...

Minha História (Gesùbambino)
(Dalla - Palotino)versão de Chico Buarque, 1970
Ele vinha sem muita conversa, sem muito explicar
Eu só sei que falava e cheirava e gostava de mar
Sei que tinha tatuagem no braço e dourado no dente
E minha mãe se entregou a esse homem perdidamente
Ele assim como veio partiu não se sabe pra onde
E deixou minha mãe com o olhar cada dia mais longe
Esperando, parada, pregada na pedra do porto
Com seu único velho vestido cada dia mais curto
Quando enfim eu nasci minha mãe embrulhou-me num manto
Me vestiu como se fosse assim uma espécie de santo
Mas por não se lembrar de acalantos, a pobre mulher
Me ninava cantando cantigas de cabaré
Minha mãe não tardou a lertar toda a vizinhança
A mostrar que ali estava bem mais que uma simples criança
E não sei bem se por ironia ou se por amor
Resolveu me chamar com o nome do Nosso Senhor
Minha história é esse nome que ainda hoje carrego comigo
Quando vou bar em bar, viro a mesa, berro, bebo e brigo
Os ladrões e as amantes, meus colegas de copo e de cruz
Me conhecem só pelo meu nome Menino Jesus





Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??