TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

5 de jun de 2011

Sequestro em Cuba!

Ficamos hospedados neste Hotel ...

Localizado entre a Velha Havana e a parte moderna da cidade, este hotel possui uma longa tradição de serviços para seus visitantes. Construído em 1926, fornece um ambiente de intimidade. Seus quartos possuem uma vista panorâmica da bahia.
Islazul Hotel Lincoln: Loby

Neste hotel ocorreu um sequestro...

"Os civis nunca deveriam ser sequestrados", disse Fidel Castro a propósito das FARC.
Lincoln Hotel logo, Havana, Cuba
Mas esqueceu-se que os guerrilheiros que ele dirigia fizeram o mesmo com o corredor Fangio e com 11 técnicos norte-americanos durante a guerra revolucionária.
Sublinha-se a amizade que se chegou a estabelecer entre Fangio e seus captores.

Penso ser necessário investigar que outro sequestro com fins políticos houve no mundo com as características deste, pois parece-me algo singular o acontecido naquele 23-24 de Fevereiro de 1958.
Juan Manuel Fangio.

Convido os nossos investigadores a procurar para ver se há algo parecido.

Isto também marca a singularidade cubana, porque as relações fraternais que se chegaram a estabelecer entre os captores e o sequestrado, e a maneira como foi tratado este último, é algo original, ou pelo menos excepcional, em sequestros com factores políticos.

Isto mostra a qualidade moral dos companheiros que trabalharam nisso, que não é outra senão a da própria Revolução que representavam.

Está presente aqui um humanismo profundo num momento complicado e perante um fato por si mesmo complicado.

A ética do capturado e a dos captores salta à vista como uma bela lição, pois mantiveram uma amizade que durou até a morte de Fangio em 1995.

Arnol Rodríguez, um dos protagonistas daquela ação já até escreveu um livro sobre o tema.


Tem coisas que só o "tododiaumtextonovo" conta:

Poucas pessoas adeptas do automobilismo de competição se recordam, enquanto outras tantas sequer sabem que, no dia 23 de fevereiro será lembrada a passagem do dia em que um dos maiores pilotos de carros de corrida do mundo em todos os tempos foi alvo de sequestro por parte de guerrilheiros comandados por Fidel Castro, às vésperas de um Grande Prêmio, em Cuba.

Sim, o argentino Juan Manuel Fangio, penta campeão de Fórmula 1, foi sequestrado para que não disputasse o Grande Prêmio de Cuba que aconteceu no dia 23 de fevereiro de 1958, em Havana, capital deste país.

Somente que, tudo transcorreu pacificamente, sem violência de nenhuma das partes, o que colaborou para que o piloto se tornasse ainda mais famoso no mundo, pois, tratava-se de fato inédito nos meios automobilísticos de competição.

Por outro lado, Fidel Castro e os seus guerrilheiros pouco se importavam com corridas de carro. O motivo principal do sequestro foi político, pois, com o ato, Fidel queria chamar a atenção do mundo para o que estava acontecendo em Cuba, ou seja, a luta dos guerrilheiros para derrubar o então presidente Fulgêncio Batista.
Islazul Hotel Lincoln: View from the restaurant
A manobra deu certo, uma vez que jornais de todo o mundo, como El Clarin, de Buenos Aires e New York Times, da cidade norte-americana deste mesmo nome, publicaram notícias a respeito citando Fangio, Fidel e tudo o mais.

Alertados sobre a passagem da data do curioso acontecimento pela antigomobilista Elisa Asinelli do Nascimento, da Antyqua, de Curitiba, vamos à história.

A prova abriria o calendário do campeonato mundial de carros esporte e contava com a presença de pilotos de Fórmula 1, entre eles o britânico Sterling Moss que deveria ter sido sequestrado também segundo o plano dos guerrilheiros, Alejando de Tomaso, Nello Ugolini, o francês Maurice Trintignant.

Fangio correria com uma Maserati 450S e tinha feito o melhor tempo nos treinos, enquanto que Moss pilotaria uma Ferrari.

Na noite anterior à prova, Fangio estava no Hotel Lincoln com amigos, quando apareceu um guerrilheiro armado com revolver obrigando-o a deixar o estabelecimento e entrar num automóvel.

As autoridades policiais foram alertadas, iniciando-se uma busca geral mas, até a hora da largada da competição o destino de Fangio era ignorado.

A corrida não poderia esperar. Então foi designado Maurice Trintignant para pilotar o carro do argentino.

Ninguém suspeitava que muita coisa ruim ainda estava para acontecer.

O GP durou apenas cinco voltas, pois o carro do piloto cubano Armando Garcia Cifuentes derrapou numa curva e arremeteu contra espectadores.

Resultado: seis pessoas mortas e trinta e duas feridas! A prova foi interrompida, tendo sido declarado vencedor Sterling Moss.

E Fangio? ???????????????????????????????????????????????????????

Ele foi libertado 29 horas após e nunca revelou a ninguém a identidade dos seus sequestradores.

No entanto, trinta e quatro anos depois, recebeu na Argentina a visita de um dos seus raptores, Arnold Rodrigues.
Três anos após este encontro, falecia Juan Manuel Fangio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??