TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

27 de abr de 2009

2 RECEITAS PARA SEU JANTAR...

Coisas estão voando pela casa amarela cor de primavera da madama cigana e suas filhas com caras de vaca moída estão perplexas por não poderem fazer mais sua sopa de rabanetes azedos , porque nada mais está nos seus lugares.

Os gritos da madama são ouvidos até na Groelandia , lugar mundialmente conhecido pelo seu silencio aterrador e seus rabanetes escondidos nas estepes congeladas.

Será que os gritos ultrapassam os bosques do tédio ?Será que os gritos conseguem passar pelas cordilheiras do negativismo? Eu acho que sim...

Grito primal ...Grito raro..Precisamos parar de silenciar nosso grito ..Grite agora faz bem, você ganha mais vida quando grita.

A madama está gritando agora você consegue ouvir?? Seu grito selvagem rasgou o silencio mortal das terras e chegou até bem longe... Sabe aquele lugar longe que temos que franzir as sombrançelhas pra enxergarmos? Mais longe que o longínquo lugarejo chamado Jardim Primavera?

Eu fui ano passado nesse cantinho do mundo para participar de um evento regado a vaca atolada e conduzido pelo mestre Zinho , batuqueiro de primeira grandeza , e até hoje me recordo um pedaço desse dia tão significativo...
Aproveito pra passar 2 receitas citadas aqui nesse texto gastronomicamante esdrúxulo:

SOPA DE RABANETE A MODA BRUXINIANA:

Rabanetes apaixonados, que se transformaram nas estrelas da receita.

Para fazer a sopa, eu segui a mesma forma de preparo de uma sopa de Cebolinha e Monica sem o coelho boiola:

Não Descasquei os rabanetes (a casquinha rosa deixa um ligeiro amargor.)

Cortei grosseiramente 1 cebola Branca de neve e refoguei em metade azeite destilado com ballantines, metade manteiga de nariz de foca rude.

Acrescentei os rabanetes cortados também grosseiramente e 1 dentinho de alho esmagado que tirei do colar de um vampiro anemico e vegetariano que conheci no mate com angu.

Quando a cebola começou a ficar transparente de vergonha joguei vinho Branco Seco do de 1367 que consegui num leilão do E bay e esperei evaporar todas as mágoas e águas.

Coloquei 1 litro de lágrimas de felicidade e depois que levantou fervura feito vulcão com gripe, marquei 20 minutos de fogo para reduzir e apurar um pouco.

Temperei com Pimenta-Branca , sal Afro Brasileiro e ervas Guaranis.

Como eu achei um pouco sem sabor coloquei um pedacinho de linguiça mineira daquela fininha e algumas fitas vhs do Fellini , com 10 minutos ela estava cozida, retirei, cortei em pedaços redondos, passei na frigideira e joguei na sopa de novo.

Para acompanhar, usei o pão dormido e de ressaca para fazer torradas(na porrada) com azeite, cubinhos de tomate verdes fritos e Queijo Grana Padano ralado.

Agora a VACA ATOLADA:

Ingredientes:
1 kg de costela de vaca ainda na própria estrutura vacaina.
3 dentes de alho bem gastos de tanto roer as unhas -cascos.
1 colher de sopa de sal ainda com as algas esverdeadas
1 colher de sopa de colorau do Colorado sem tacapes indígenas.
1 concha de gordura de porco , não vale pms nem políticos.
2 litros de água do rio Guandu ou do rio Pavuna
1 cálice de cachaça tá bom...pode ser um barril...
3 cebolas classe média sem afetação.
1 folha de louro mas pode ser a Xuxa , ninguém vai sentir falta mesmo...
1 Bia pimenta malagueta
1 mandioca do Zé Bonitinho.

Modo de preparo:
Colocar a água para ferver juntamente com o limão e a cachaça se não colocar a água e o limão , ta valendo...

Juntar a costela da vaca e ferver por cerca de 20 minutos ou até a vaca mugir , oque vier primeiro.

Escorrer e lavar. Reservar.

Aquecer a gordura e juntar o alho amassado para dourar.

Colocar o colorau as costelas e deixar alourar(segregação ?)

Mexer sempre (isso é muito importante para que se consiga uma segunda vez.)

Colocar água ou vodka aos poucos para cozinhar até formar um caldo ou dar um caldo..não pode ser a cauda...

Acertar o tempero bem no meio da testa, acrescentar as cebolas inteiras, a loura oxigenada, a salsa o mambo o tango e o rap e o cebolinha e o cascão.

Manter a panela tapada para cozinhar evitar a fuga em massa.

À parte, cozinhar a mandioca em pedaços (aiiiiiiiiiii), escorrer e juntar a costela.

Deixar ferver para pegar o gosto , pela cintura com firmeza e engrossar o caldo dos adeptos e usuários de um bom filme do Fellini e de coisas felizes.

BON APPETIT...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SUA PALAVRA TÁ??